Instrumentos Musicais da Bíblia

Fresh and Creative Design

 

No princípio da Bíblia encontra-se o nome de Jubal, filho de Lameque, como sendo o inventor de instrumentos musicais (Gênesis 4:21).

 

Leia Mais

Que é Música Sacra?

Easy Customization

 

Há diferentes opiniões a respeito do que seja música sacra. Tradicionalmente entende-se por música que não lembra a música do mundo e que desperta sentimentos de religião,

 

Leia mais

Ganhando Almas para Cristo

Browser Compatibility

 

Aproximação e acompanhamento são elementos indispensáveis para alguém que quer ganhar almas para Cristo. 

 

Leia mais

Instrumentos Musicais da Bíblia e a Música Primitiva

No princípio da Bíblia encontra-se o nome de Jubal, filho de Lameque, como sendo o inventor de instrumentos musicais (Gênesis 4:21). Na história do povo de Israel, uma das primeiras referências à música se encontra em Gênesis 31:27, há evidência desde os primórdios, de que os hebreus se dedicavam a essa arte nas suas habitações e no campo.

Ainda que escassos os dados, alguns eruditos opinam que, no culto do tabernáculo, os levitas empregavam a música. Davi iniciou o ritual de canto, segundo I Crônicas 15:17, Davi instituiu uma orquestra com três regentes: Hemã, Asafe e Etã ou Jedutum, todos levitas. Esses pioneiros fundaram escolas de execussão musical.

 

O rei Davi tangendo as cordas de sua lira

 

A Bíblia dá muito pouca informação acerca das formas musicais hebraicas e do seu desenvolvimento. Por este motivo, devemos combinar o estudo da Bíblia com história e arqueologia se desejarmos saber algo da música dos tempos bíblicos. Também atribui-se a Davi o invento de vários instrumentos, muito embora não saibamos precisamente quais foram (cf. Amós 6:5). Davi formou um coro de 4.000 cantores para oferecer louvores ao Senhor “com os instrumentos que Davi fez para esse mister” (I Crônicas 23:5, cf. II Crônicas 7:6, Neemias 12:8) Davi compôs também cânticos, tais como seu lamento pela morte de Saul e Jônatas. Embora Deus dirigisse o desenvolvimento social e religioso de Israel, a nação absorveu idéias de culturas circunvizinhas. Estava Israel numa encruzilhada geográfica e exposta a idéias e costumes de outras partes do mundo (Gênesis 37:25), incluindo-se o estilo musical.

 

Estilo de Música Hebraica Com Danças

 

Muitos homens de Israel casaram-se com mulheres estrangeiras cujos costumes aos poucos se infiltraram no estilo de vida hebreu. Segundo a coleção de escritos judeus pós-bíblicos, chamada “Midrash”, o rei Salomão casou-se com uma egípcia cujo dote incluía 1.000 instrumentos musicais. Se isto for verdadeiro, não resta dúvida de que ela trouxe músicos consigo para tocar esses instrumentos no estilo tradicional egípcio. O fim a que a música servia e a reação dos ouvintes também influíram no desenvolvimento da música hebraica. Em tempos de guerra, amiúde era necessário fazer soar um alarme ou enviar algum outro tipo de aviso urgente. Desse modo, os hebreus criaram o “shophar”, instrumento semelhante à trombeta, com tons altos, penetrantes (Êxodo 32:17-18; Juízes 7:18-20). O divertimento e a frivolidade exigiam os tons leves e alegres produzidos pela flauta (Gênesis 31:27; Juízes 11:34-35; Mateus 9:23-24; Lucas 15:23-25).

O "Shophar", instrumento semelhante à trombeta

 

 Os dirigentes hebreus que serviam no templo tiveram muito cuidado em evitar o uso de música associada com a adoração pagã sensual. Nas culturas onde eram comuns os ritos de fertilidade, mulheres cantoras e musicistas incitavam a orgias sexuais em honra de seus deuses. Mesmo instrumentos não associados com práticas pagãs às vezes eram proibidos.

Amostra de uma Lira Grega

O profeta Amós condenou os que cantavam “ à toa ao som da lira” (Amós 6:5). É claro, havia momentos em que as distrações da música podiam ser úteis. O dedilhar suave da harpa de Davi acalmava a um Saul atormentado (I Samuel 16:23). Depois que Daniel foi lançado na cova dos leões, o rei Dario retirou-se para seus aposentos e não deixou que trouxessem à sua presença “instrumentos de música” (Daniel 6:18). A música era parte importante da vida cotidiana. Diversões, casamentos e funerais não estavam completos sem ela. Até mesmo a guerra dependia da música, visto como instrumentos especiais soavam para chamar à batalha. A diversão e a descontração aristocrática patrocinavam os músicos e suas habilidades. A música também fazia parte da vida religiosa de Israel. O culto formal dos israelitas observava diversos rituais prescritos por Deus. A música servia de acompanhamento a esses rituais. A música do templo constituía-se de cantores e orquestra. Cantores e músicos só podiam proceder dos varões de determinadas famílias. Do mesmo modo, os tipos de instrumentos eram restritos. Instrumentos que estivessem associados com mulheres, com diversão rouquenha ou estridente (tal como o “sistro”egípcio), ou com culto pagão estavam banidos da orquestra do templo.

 

Nesta imagem vê-se o jovem Davi ferindo as cordas de uma harpa

 

O Antigo Testamento arrola diversos tipos de instrumentos na orquestra do templo (cf. I Crônicas 15:28; 16:42; 25:1). Esses instrumentos incluem a grande harpa (“nevel”), a lira (“kinnor”), o chifre de carneiro (“shophar”), a trombeta (“chatsotserah”), o tamborim (“toph”), e címbalos (“metsiltayim”). Depois que os israelitas voltaram do exílio e reconstruíram o templo, a orquestra foi restabelecida (cf. Neemias 12:27). A gaita ou flauta (“halil”) provavelmente agora foi incluída, e a música vocal passou a ser mais proeminente. Além do culto formal no interior do templo a música era parte de outras atividades religiosas. Instrumentos não permitidos no templo eram tocados em outras funções religiosas, tais como os dias de festa. Muitas vezes a festa começava com uma proclamação musical; então seguia-se música, cântico e até dança. Permitia-se a participação das mulheres cantoras e musicistas (Esdras 2:65; Neemias 7:67; I Crônicas 35:25).

 

Alaúde - Geralmente era tocado por mulheres e estava excluído da orquestra do templo

 

O Antigo Testamento raramente menciona as formas de música, as origens dos instrumentos e assim por diante. O modo de executar ou de fabricar instrumentos era transmitido por tradição oral em vez de o ser por escrito. A maior parte dessa tradição oral perdeu-se, deixando-nos apenas a breve informação encontrada na Bíblia. Muito poucos instrumentos musicais antigos existem intactos, por isso devemos fazer conjecturas sobre como eram e como soavam. Comparando as referências bíblicas com os artefatos de outras culturas, os historiadores e arqueólogos têm ajudado a preencher muitas das lacunas de nosso conhecimento da música dos tempos bíblicos. Este estudo é um processo contínuo como bem o demonstram as traduções mais recentes da Bíblia. Se compararmos passagens sobre a música de versões antigas da Bíblia com traduções mais recentes, podemos notar algumas diferenças.

 

A harpa era um instrumento predileto da classe aristocrática (Nobreza)

 

SALMOS - É um título derivado do grego “psalmos”, indicando um poema cantado com acompanhamento de instrumentos musicais. Esta palavra aparece no Novo Testamento Grego em I Coríntios 14:26, Efésios 5:19 e Colossenses 3:16. O título hebraico do livro era “Sepher Tehilim”, significando “Livro dos Louvores”. Embora a maioria dos Salmos tenha sido escrita por Davi, no século 10º a.C, alguns foram reconhecidamente compostos por outros homens.

TIPOS DE INSTRUMENTOS:

INSTRUMENTOS DE PERCUSSÃO - O povo de Israel usava uma variedade de instrumentos de percussão para destacar o ritmo de sua música. O ritmo era elemento vital da poesia e canções. CÍMBALOS - Os címbalos (“metziltayim” ou “tziltzal”) eram feitos de cobre e os únicos instrumentos de percussão na orquestra do templo. Eram usados quando o povo celebrava e louvava a Deus. Juntavam-se às trombetas e aos cantores para expressar alegria e ações de graça ao Senhor (I Crônicas 15:16; 16:5). Asafe, músico-chefe de Davi (I Crônicas 16:5), era tocador de címbalos. Quando o povo voltou do cativeiro, os descendentes de Asafe foram chamados para juntar-se aos cantores e às trombetas em louvor ao Senhor (Esdras 3:10).

 

Címbalos de duas peças

 

Címbalos, usados para marcar compasso. Constituía-se de discos de latão (ou cobre) que eram batidos um no outro.

 

Címbalos de quatro peças

 

Címbalos de duas peças (ou de dois pratos)

 

Em Salmos 150:5 são mencionadas duas espécies. Uma considerada de quatro peças, duas em cada mão; a outra de duas, isto é, uma peça em cada uma das mãos.

 

Tamboril ou Tamborim

 

O TAMBORIL - É corretamente traduzido por “tamboril” ou “tamborim”. Era carregado e batido com a mão. Em tempos muito primitivos pode ter sido feito com duas membranas, com pedaços de bronze inseridos na borda. O cântico de Mirian e das mulheres de Israel, à beira do mar vermelho, foi acompanhado de TAMBORINS. “Então, Miriã, a profetiza, a irmã de Arão, tomou o tamboril na sua mão, e todas as mulheres saíram atrás dela com tamboris e com danças.” - Êxodo 15:20

 

ADUFE ou Pandeiro Quadrado

 

O Adufe ou Pandeiro - Os tais que usualmente eram tocados pelas mulheres.

“ Sucedeu, porém, que, vindo eles, quando Davi voltava de ferir os filisteus, as mulheres de todas as cidades de Israel saíram ao encontro do rei Saul, cantando e em danças, com adufes, com alegria e com instrumentos de música.” - I Samuel 18:6

 

ADUFE ou Pandeiro

 

“Os cantores iam adiante, os tocadores de instrumentos, atrás; entre eles, as donzelas tocando adufes.” - Salmos 68:25

 

Ilustração de mulheres tocando Adufe

 

GONGO - O “bronze” mencionado em I Coríntios 13:1 era, realmente, um gongo de metal. Era usado em casamentos e em outras ocasiões festivas.

 

Gongo de Metal semelhante aos da antiguidade

 

INSTRUMENTOS DE CORDA - Os arqueólogos têm encontrado fragmentos de harpas e de outros instrumentos do Egito e de países circunvizinhos do Oriente Próximo. A Bíblia descreve diversos instrumentos de corda usados em Israel.

 

 

Músicos egípcios. Esta pintura de um túmulo de Tebas (cerca do décimo-quinto século a.C.) retrata mulheres egípcias tocando instrumentos musicais e dançando. Da esquerda para a direita vemos uma harpista,uma alaudista,uma dançarina,uma tocadora de flauta dupla,e uma lirista com um instrumento de sete cordas. Note-se a pele de leopardo decorando a parte inferior da armação da harpa.

HARPA - A harpa era um instrumento predileto da classe aristocrática e era prodigamente feito (I Reis 10:12; II Crônicas 9:11). Era usada na orquestra do templo e foi indicada para “levantar a voz com alegria” (I Crônicas 15:16).

 

Alaúde e Harpa - Museu de Barcelona

 

HARPA (hb. kinnos) instrumento adaptado ao baixo. Suas cordas eram mais longas do que as do saltério, e a sua música, solene e grave. As harpas eram destinadas a dirigir (I Crônicas 15:21)

 

Harpa Moderna

 

“ Louvai ao SENHOR! Louvai a Deus no seu santuário; louvai-o no firmamento do seu poder. Louvai-o pelos seus atos poderosos; louvai-o conforme a excelência da sua grandeza. Louvai-o com o som de trombeta; louvai-o com o saltério e a harpa. Louvai-o com o adufe e a flauta; louvai-o com instrumento de cordas e com flautas. Louvai-o com címbalos sonoros; louvai-o com címbalos altissonantes. Tudo quanto tem fôlego louve ao SENHOR. Louvai ao SENHOR! “ (Salmos 150:1-6)

 

Harpa Antiga

 

Julga-se que o principal harpista era o regente da orquestra, observando-se o “título” que, com frequência “encabeça” muitos Salmos: Para o “Cantor-mor ou regente”

A HARPA é um dos instrumentos mais antigos que se conhecem e que com maior constância formou parte da música de muitos diversos tempos e estilos.

 

O Saltério sendo dedilhado

 

O Saltério - É um instrumento de cordas, geralmente pulsadas ou beliscadas, como a harpa (cítara e a lira). Sua origem remonta pelo menos 300 a.C., quando era utilizada para acompanhamento dos Salmos.

ALAÚDE - Frente e verso

 

ALAÚDE - Este instrumento pode ter sido um dos “instrumentos de música” mencionados em I Samuel 18:6. Geralmente era tocado por mulheres e estava excluído da orquestra do templo.

 

LIRA - A Lira é um instrumento de cordas conhecido pela sua vasta utilização durante a antiguidade. As récitas poéticas dos antigos gregos eram acompanhados pelo seu som, ainda que o instrumento não tivesse origem helênica. O gênero de instrumento a que pertence a lira terá tido o seu alvorecer na Àsia, inferindo-se que terá entrado na Grécia através da Trácia ou da Lídia.

 

Imagem de uma Lira Grega

 

POESIA LÍRICA - É um gênero de poesia que surgiu na Grécia Antiga, recitada em forma de canto e, normalmente, acompanhada pela sonoridade de algum instrumento musical, como a flauta ou a lira. Aliás, o nome “lírica” (do latim lyricu) se originou a partir deste último.

 

CÍTARA - Dois termos hebreus são traduzidos por “cítara”. Um é mencionado em apenas um livro da Bíblia (Daniel 3:5,7,10 e 15).

 

Imagem de uma CÍTARA atual

 

Esta cítara especial (“nevel”) era frequentemente usada na música secular, tal como na folia no banquete de Nabucodonosor. Era executada tangendo-se as cordas com os dedos. Uma cítara menor (“kinnor”) era considerada como o instrumento mais sofisticado. Sua forma e número de cordas variavam, mas todos os tipos de cítaras produziam um som muitíssimo agradável. A cítara era usada em ambientes seculares (Isaías 23:16), mas era também aceita no uso sacro. É o instrumento que Davi usou para acalmar o rei Saul. Geralmente, esta“pequena cítara”era executada ferindo-se as cordas com um plectro assim como o violão pode ser tocado com uma palheta. Contudo, parece que Davi preferia usar a mão, em vez do plectro (I Samuel 16:23; 18:10; 19:9). Os artífices habilidosos faziam cítaras de prata ou de marfim e as decoravam com pródiga ornamentação.

 

SAMBUCA - O livro de Daniel refere-se com frequência à “sambuca” (Daniel 3:5, 7,10 e 15) Não sabemos o formato e o tamanho exatos da “sambuca”. O instrumento parece ter sido emprestado dos babilônios e assim não era comum entre os instrumentos de Israel.

INSTRUMENTOS DE SOPRO - A despeito de seu limitado conhecimento de trabalho em metal, os israelitas modelaram uma variedade de buzinas e de outros instrumentos de sopro.

CLARINETA - A primitiva clarineta era um instrumento popular nos tempos bíblicos. É mencionada como flauta em Isaías 5:12; 30:29 e Jeremias 48:36. As referências do Novo Testamento incluem Mateus 9:23; 11:17; Lucas 7:32 e I Coríntios 14:7. A clarineta provavelmente não era usada no templo, porém era um instrumento popular em banquetes, casamentos ou funerais.

 

Flauta dupla egípcia

 

FLAUTA - De modo geral, flauta se refere a um instrumento de sopro que expressa exuberante alegria ou lamento extático. Geralmente se acredita ter sido um instrumento secular, embora o Salmo 150:4 mencione seu uso no templo para uma celebração religiosa.

Flauta,mencionada em Gênesis 4:21, Jó 21:12 e 30:31, Salmos 150:4. No segundo templo era usada especialmente na execução do “Hallel” (Salmos de Louvor), que se cantavam na Páscoa e em outras festas. A Flauta era um instrumento popular, com várias formas e modelos. E em todas as culturas antigas, havia flauta como instrumento musical.

 

Flauta Antiga de Madeira

 

A FLAUTA é conhecida através de diferentes documentos desde o século III a.C., mas a sua configuração atual responde a um longo processo de aperfeiçoamen-to. Construída no passado em madeira, desde há muito tempo são construídas em metal, frequentemente de prata.

PÍFARO ou PÍFANO

Instrumento mais comum ou popular da classe, com semelhança a flauta, instrumento de uso em culturas de diversos povos desde a antiguidade. Citado em Isaías 5:12 e 30:29. Não era usado dentro do Templo, mas provavelmente, nas procissões. O pífaro (“mashrokitha”) era realmente um tubo grande. Pelo fato de ser um tubo grande e ter um bocal, ele produzia um som agudo, penetrante, um tanto semelhante ao oboé. O pífaro era popular no uso secular e religioso,porém não é mencionado como instrumento da orquestra do primeiro templo. Às vezes seu uso foi permitido no segundo templo. Devido ao seu som penetrante, era usado em procissão (Isaías 30:29).

 

Pífaros ou Pífanos

 

Em nossa cultura aqui no Brasil, o pífaro, pífano ou ainda pife é uma pequena flauta transversal aguda, similar a um flautim, mas com um timbre mais intenso e estridente, devido ao seu diâmetro menor.

 

O Shophar - "Chifre de Carneiro"

 

SHOPHAR - O “Shophar” é mais bem entendido como “chifre de carneiro”, como em Josué 6:4, 6, 8 e 13. Destinava-se a fazer ruído, e não música; daí não poder executar melodias. Era usado para dar avisos e anunciar ocasiões especiais, como no caso da transferência da arca (II Samuel 6) Também era usado para afugentar espíritos maus e deuses do inimigo (Zacarias 9:14-15).

 

Imagens da Arca sendo transportada

 

TROMBETA - A trombeta, semelhante ao “shophar”, era usada pelos sacerdotes. Muitas vezes as trombetas se apresentavam aos pares (Números 10:1-10). Originalmente foram ordenadas duas para o templo; mas o número podia ser aumentado para 120, dependendo da sua finalidade (II Crônicas 5:12). As trombetas eram feitas de osso, de concha ou de metais - bronze, cobre, prata, ouro - todas produziam um som agudo e estridente.

 

Imagens de Trombetas fundidas em metal

 

Geralmente se crê que essas trombetas, como o “shophar”, não podiam produzir sons em vários tons, de modo que produzissem música (melodia). Contudo, podiam executar notas de legato, staccato e trinados. Assim, elas podiam dar sinais complicados para anunciar reuniões, batalhas e emboscadas.

 

Gideão usou trombetas para aterrorizar o inimigo (Juízes 7:19-20). João ouviu o som de uma trombeta antes de receber a visão do apocalípse (Apocalípse 1:10). Na verdade, as trombetas estão entre os proeminentes símbolos do Juízo (I Coríntios 15:52; I Tessalonicensses 4:16; Apocalípse 8:2).

RESUMO:

Em si a música é companheira no curso da existência do homem, dos fundamentos primórdios à dias atuais, sendo ela, “a arte de manifestar os diversos afetos de nossa alma mediante o som.”

OBRAS CONSULTADAS:

01- Vida Cotidiana Nos Tempos Bíblicos Merril C.Tenney,A.M.,Ph.D. James I.Packer,A.M.,D.PHIL. William White,JR.Th.M.,Ph.D 02- Pequena Enciclopédia Bíblica O.S. Boyer 03- Dicionário da Língua Portuguesa Aurélio Buarque de Holanda 04- Grandes Clássicos - História da Música Clássica Vol. 1 Ediciones delPrado 05- Caminhos Bíblicos - Curiosidades e Suplemento Arqueológico complementobiblico.blogspot.com.br 06- Wilkipédia,a enciclopédia livre

 

Email

Você precisa contactar-nos?

Envie e-mail para:

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Temos 7 visitantes e Nenhum membro online